Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Logon

Inovação e Tecnologia

​​​​​O Grupo Energisa sempre se destacou pela inovação e introdução de novas tecnologias no setor de energia elétrica, inclusive na área de geração. Essa história de pioneirismo começou há mais de um século, quando em 1908 colocou em operação a Usina Maurício, de 800kW, uma das primeiras hidrelétricas do país. De lá pra cá, as peculiaridades em inovação e tecnologia não pararam.

Para alcançar sucesso em inúmeras destas iniciativas pioneiras, o Grupo Energisa contou com um engenheiro de destaque no setor elétrico, especialmente na área de geração: José Antônio da Silva Marques - Zé Tunem, conhecido nacionalmente pelo espírito audacioso e a capacidade de transformar desafios em realidade. Juntos, Grupo Energisa e Zé Tunin, tornaram-se inovadores e ousados pelo pioneirismo em diversas áreas do setor elétrico.

Várias foram as inovações trazidas pela Energisa nestes últimos anos na área de PCHs:

  • Introdução pioneira da tecnologia de automação de usinas em todo o país com a operação à distância, lançada na construção da PCH Cachoeira do Emboque.
  • Ousadia na construção simultânea de cinco PCHs na Zona da Mata de Minas Gerais entre 2001-2003.
  • Implantação de relés digital durante a repotenciação das usinas Coronel Domiciano e Neblina, verdadeira inovação tecnológica para a época e questionada no setor que, até então, estava
  • acostumado a utilizar relés eletromecânicos.
  • Fabricação própria de componentes hidromecânicos para usinas em construção e outras;
  • Implantação do Sistema de Supervisão, Controle e Aquisição de Dados (SCADA) na Energisa Minas Gerais.
  • Construção em tempo recorde (menos de um ano) da PCH Benjamin Baptista;
  • Aposta na geração por gás natural, construindo a primeira Usina Termelétrica de Minas Gerais.
  • Aperfeiçoamentos tecnológicos em turbinas e geradores realizados em conjunto com fornecedores.
  • Padronização de equipamentos hidromecânicos de levantamento e de geração entre as usinas, com redução de custos e melhoria de atendimento durante a operação e manutenção.
  • Adoção de metodologias construtivas com redução de prazos de construção e comissionamento, tais como: telhado escotilha, pórtico rolante, antecipação de montagem de hidromecânicos, etc.
  • Padronização de instrumentos e equipamentos para serviços auxiliares entre as usinas
  • com estoque de peças otimizado e tempo reduzido de parada para manutenção.
  • Casa de Força sem superestrutura.
  • Fundações em estaca raiz da Casa de Força de Ervália.
  • Projeto de Casa de Força modulada em caixa, sem galerias.
  • Pórtico rolante itinerante, desmontável, com vão variável e pernas desmontáveis.
  • Sistema de eliminação de formas, aplicando máquina moldadora de meio-fio.
  • Sistema de aplicação do CCR associado à máquina de meio-fio.
  • Sala de Controle instalada em mezzanino metálico suspenso.
  • Vãos de Vertedouro padronizados, para unificação e racionalização de comportas e stoplogs.
  • Comportas de desvio com dimensões padronizadas, para aplicação generalizada.